Interlab - Distribuidora de Produtos Científicos LTDA

Notícias

Mensagem de Johnny

Data: 10/05/2012

SANTUÁRIO DE SOROCABA

Duas semanas atrás uma equipe da Televisão Argentina ficou dois dias no Santuário de Grandes Primatas e Felinos de Sorocaba, afiliado ao Projeto GAP, filmando uma extensa matéria para ser veiculada pela primeira vez naquele país irmão. Junto com a equipe televisiva, vieram Alejandra Juarez, representante do GAP na Argentina e dona do Santuário de macacos “carayᔠ(bugios) em liberdade, na serra Cordobesa, e Martin G. Davids, tratador de chimpanzés do Jardim Zoológico da cidade de La Plata.

A vida de Alejandra e seu envolvimento com primatas, incluindo os macacos bugios argentinos e os chimpanzés, será o assunto principal da matéria televisiva.

O chimpanzé Johnny, que está em Sorocaba há vários anos, viveu quase toda sua vida numa casa de família no interior do Estado de S. Paulo, após sua chegada, com menos de quatro anos de idade, do México. Johnny teve uma pequena experiência de vida no Zoológico de Curitiba, onde viveu com uma fêmea chimpanzé de nome Imperatriz, muito humanizada do ex-Circo Garcia, e com quem que ele não se deu bem. Na época seus donos o destinaram então ao Santuário.

Johnny vive sozinho, porque não conseguimos um parceiro adequado que ele aceitasse. Construímos um recinto com túneis em vários níveis, quando percebemos que ele adorava ficar lá dentro.

Quando alguém o visita, Johnny tenta fazer agrados. Geralmente, se você leva algo, ele gosta de compartilhar com a pessoa que levou. Martin Davids ficou quatro dias conosco no Santuário, junto com Alejandra. Ele trabalhou mais de 20 anos com chimpanzés na Argentina. É um dos poucos tratadores que entra nos recintos com alguns chimpanzés, o que destaca uma intimidade emocional com os mesmos. Na Argentina já não há mais chimpanzés em circos, pelo menos que se conheça publicamente. Leis municipais e provinciais, como no Brasil, proibindo a entrada de circos com animais praticamente esvaziou os mesmos dos circos. Em zoológicos, segundo os cálculos do próprio Martin, devem existir de 15 a 20. No Zoológico de La Plata, onde ele trabalha, há cinco.

Martin tentou uma aproximação com Johnny e este começou a agradá-lo também. Num momento subiu ao seu dormitório no terceiro andar e deixou cair para ele um pequeno pedaço de tecido. Para sua surpresa, Martin viu que era um pedaço de tecido do boné do GAP e nele pôde ser lido “Projeto GAP – www.projetogap.org.br”. Martin não podia acreditar no que estava acontecendo. Aquele chimpanzé, que tinha conhecido há poucas horas, lhe pedia que ajudasse ao Projeto GAP, já que o mesmo promove a luta para que os seus direitos sejam respeitados no futuro e que todos seus iguais deixem de ser abusados, escravizados, exibidos, torturados e comercializados.

Johnny tinha recebido de mim, uma semana atrás, um boné do GAP. Ele o guardou em seu dormitório e o dividiu em pedaços, tirando as costuras do mesmo. A frase acima está na parte da frente do boné, que ele escolheu para dar o recado à Martin, que logo percebeu que ele conhecia de sua espécie e sabe como tratá-la.

Martin se emocionou e guardou a mensagem. No dia seguinte, horas antes de partir, me mostrou ainda demonstrando incredulidade no que tinha acontecido.

Martin trabalha há mais de 20 anos com chimpanzés, sabe de sua inteligência, raciocínio, sentimentos e esperteza. Sabe também que a única diferença conosco é a linguagem. Nós, humanos, há menos de 50.000 anos, conseguimos articular palavras e criar uma linguagem oral. Eles ainda não. Talvez algum dia isso aconteça, se deixarmos que alguns sobrevivam. Porém, ele sabe que os chimpanzés sabem expressar seus desejos, emoções, sentimentos, de muitas outras formas. Esta que Johnny escolheu, ele não conhecia: dar-lhe um texto humano, extraído de um boné, que falava tudo o que era necessário. Johnny queria que ele fosse outro defensor deles e de seus direitos a uma vida de respeito e decência.

Existem muitas formas de expressar pensamentos. Johnny fez algo inédito, ele entende porque nós lutamos e como nós manifestamos à sociedade. Algum dia, um deles também o fará com palavras.

Dr. Pedro A. Ynterian
Presidente, Projeto GAP Internacional

Fonte: http://www.anda.jor.br/10/05/2012/a-mensagem-de-johnny

Voltar para listagem de notícias