Interlab - Distribuidora de Produtos Científicos LTDA

Notícias

Como os Chimpanzes Administram a Paz?

Data: 02/04/2012

Alguns trabalhos realizados por biólogos e antropólogos, tentando entender como os chimpanzés em grupo administram o dia a dia e evitam as discórdias entre eles, têm aparecido em publicações científicas nos últimos tempos.

Infelizmente, a maioria dos trabalhos tem sido realizada em zoológicos da Europa e América do Norte, que não são os lugares ideais para entender o relacionamento na sociedade dos primatas. No último trabalho publicado na revista Plos One, realizado em zoológicos suíços e europeus, chegou-se à conclusão que os machos alfa policiam o grupo, através de outros indivíduos da turma, para detectar brigas potenciais e interferir nas mesmas, antes que a situação piore.

Nós, observadores privilegiados da vida de vários grupos de chimpanzés que moram no Santuário de Sorocaba, onde não existe o estresse causado pela visitação pública, chegamos a conclusões diferentes das que estes pesquisadores têm chegado em zoológicos.

Escolhemos o grupo de Guga, que é o macho alfa de um grupo que era composto de sete e foi reduzido a seis indivíduos, pois existia um desafio: a liderança de Guga, disputada por Cláudio, companheiro de criação que decidiu, quando adulto, assumir o comando. Nesse grupo existiam três fêmeas e quatro machos. Todos criados por nós, desde bebês, exceto Dolores, que viveu em circos vários anos, até chegar a nós. Ela tem comportamento com traços de histerismo, devido aos maus tratos que sofreu.

Guga é o maior macho do grupo em idade e assumiu a liderança desde o princípio. Guga tem uma forma de relacionar-se e conseguir o apoio do resto dos membros de forma democrática; poucas vezes usa a violência para impor-se e compartilha tudo, inclusive as fêmeas, com seus companheiros. Tanto Emilio como Billy Jr. se protegem com ele quando acontece alguma briga com Cláudio ou com as fêmeas. As fêmeas igualmente se juntam a ele quando Cláudio começa a provocá-las para gerar um atrito.

É importante analisar a origem de cada chimpanzé para ter um perfil de sua personalidade. Cláudio é filho de pai (Gilberto) e mãe (Lulu) dominantes. As mães de Guga e Emilio, que tivemos a oportunidade de conhecer, são fêmeas tranqüilas, meigas, pouco conflitivas. Isto moldou a personalidade de ambos. Billy e Carol, os outros dois membros do grupo, são irmãos e têm uma aliança especial entre eles; se ajudam e colaboram em bloco com Guga em qualquer briga. Samantha é a companheira de Guga, com quem já teve possivelmente três filhas. Falamos possivelmente porque Guga nunca foi seu parceiro exclusivo.

Meses atrás o desafio de Cláudio quanto à autoridade de Guga era evidente. Guga, às vezes, nos pedia ajuda para que interferíssemos, mas pouco podíamos fazer. Ele começou a se automutilar nos braços, pelo estresse de administrar o grupo e não mostrar fraqueza frente a Cláudio, que tentava fazer aliança com alguns membros do grupo para tomar o poder.
Dias atrás chegamos à conclusão de que a única solução era enviar Cláudio para o grupo de Noel, em recintos que se comunicam, depois de uma tentativa frustrada de trazer Carlos, que também foi criado com eles, para o grupo, a fim de balancear a atitude de Cláudio. Porém, Carlos é filho de pais dominantes (Lulu e Flint) e inicialmente fez aliança com Cláudio, piorando o comando de Guga
.
Então a decisão foi separar Cláudio do grupo, mas ele mantém um contato visual e próximo com seu grupo original. Guga reagiu muito bem a essa medida, visto que assumiu novamente a liderança, deixou de se automutilar e o ambiente do grupo melhorou notavelmente.

Os chimpanzés são seres sociais na vida livre, pois podem migrar caso precisem, o que torna mais fácil que os grupos vivam em relativa paz, sempre comandados por um macho alfa, que mantém sua liderança com o apoio dos membros mais influentes do grupo. No cativeiro a situação se complica – mais ainda em um zoológico com espaços exíguos e o estresse do público. Mas nos Santuários, que lhes oferecem um espaço vital de vários milhares de metros quadrados de área e não controlam seus movimentos de dia e de noite, eles são livres dentro de seus limites. A possibilidade de criar um grupo que viva em harmonia e paz se intensifica, melhorando a qualidade de vida de todos os membros.

Dr. Pedro A. Ynterian
Presidente, Projeto GAP Internacional

Fonte: http://www.anda.jor.br/02/04/2012/como-os-chimpanzes-administram-a-paz

Voltar para listagem de notícias